Teste de Turing ideológico

De Racionalidade
Ir para: navegação, pesquisa

O teste de Turing ideológico é uma atividade proposta por Bryan Caplan em 2011[1], como uma maneira de testar se uma pessoa é capaz de expor corretamente os argumentos de um grupo ideológico, especialmente um oposto ao seu. O nome é uma referência ao Teste de Turing, que pretende diferenciar humanos e inteligências artificiais.

O teste possibilita identificar pontos de ignorância e entendimento equivocado, que podem levar a ideológicos e políticos, e poderia também motivar o sujeito a tentar entender melhor a posição oposta a sua.

Embora tenha surgido no contexto de ideologias econômicas, ele pode ser aplicado a qualquer questão na qual se tenha dois lados polarizados.

O teste

O sujeito deve responder perguntas ou escrever um ensaio na posição ideológica em questão, se juízes neutros ou daquela ideologia forem incapazes de distinguir a resposta da de alguém que endossa a posição em questão, ele é considerado aprovado (i.e. julga-se que entende os argumentos pelo menos tão bem quanto um partidário daquela ideologia).

O teste admite menos viés se o julgamento for cego ou melhor ainda, duplo-cego.

Uma variação é escrever um texto a favor de um lado e um do outro, e os juíz tentar avaliar qual das duas é a posição adotada pelo autor.

Alguns aspectos interessantes para se escrever a respeito:

  • Porque defendo/me considero X.
  • Porque não defendo/sou o oposto de X.
  • O que me faria mudar de ideia a respeito de X.
  • Como vivo e atuo em favor de X.

Algumas sugestões de tópicos:

  • Ideologias diametralmente opostas as suas em termos sociais, econômicos ou políticos.
  • Candidatos e partidos políticos que você não apoia.
  • Políticas e projetos específicos que você é contra.
  • Posições morais que você é contra.
  • Religiões que você não acredita (ou irreligião).
  • Teorias ou hipóteses que você não acha plausíveis.

Veja também

Links

Referências

  1. The Ideological Turing Test - EconLib, Bryan Caplan, 2011