Explain/Worship/Ignore?

De Racionalidade
Revisão de 00h20min de 12 de outubro de 2015 por Silzi (Discussão | contribs) (Explicar/Cultuar/Ignorar?)
(dif) ← Edição anterior | Revisão atual (dif) | Versão posterior → (dif)
Ir para: navegação, pesquisa

Original

As our tribe wanders through the grasslands, searching for fruit trees and prey, it happens every now and then that water pours down from the sky.

“Why does water sometimes fall from the sky?” I ask the bearded wise man of our tribe.

He thinks for a moment, this question having never occurred to him before, and then says, “From time to time, the sky spirits battle, and when they do, their blood drips from the sky.”

“Where do the sky spirits come from?” I ask.

His voice drops to a whisper. “From the before time. From the long long ago.”

When it rains, and you don’t know why, you have several options. First, you could simply not ask why—not follow up on the question, or never think of the question in the first place. This is the Ignore command, which the bearded wise man originally selected. Second, you could try to devise some sort of explanation, the Explain command, as the bearded man did in response to your first question. Third, you could enjoy the sensation of mysteriousness—the Worship command.

Now, as you are bound to notice from this story, each time you select Explain, the best-case scenario is that you get an explanation, such as “sky spirits.” But then this explanation itself is subject to the same dilemma—Explain, Worship, or Ignore? Each time you hit Explain, science grinds for a while, returns an explanation, and then another dialog box pops up. As good rationalists, we feel duty-bound to keep hitting Explain, but it seems like a road that has no end.

You hit Explain for life, and get chemistry; you hit Explain for chemistry, and get atoms; you hit Explain for atoms, and get electrons and nuclei; you hit Explain for nuclei, and get quantum chromodynamics and quarks; you hit Explain for how the quarks got there, and get back the Big Bang . . .

We can hit Explain for the Big Bang, and wait while science grinds through its process, and maybe someday it will return a perfectly good explanation. But then that will just bring up another dialog box. So, if we continue long enough, we must come to a special dialog box, a new option, an Explanation That Needs No Explanation, a place where the chain ends—and this, maybe, is the only explanation worth knowing.

There—I just hit Worship.

Never forget that there are many more ways to worship something than lighting candles around an altar.

If I’d said, “Huh, that does seem paradoxical. I wonder how the apparent paradox is resolved?” then I would have hit Explain, which does sometimes take a while to produce an answer.

And if the whole issue seems to you unimportant, or irrelevant, or if you’d rather put off thinking about it until tomorrow, than you have hit Ignore.

Select your option wisely.

http://lesswrong.com/lw/j2/explainworshipignore/

Explicar/Adorar/Ignorar?

Ao passo que a nossa tribo vagueia pelas pastagens, procurando presas e frutos em árvores, acontece vez ou outra que a água escorre do céu.

“Por que a água as vezes cai do céu? ” Pergunto ao sábio barbudo da nossa tribo.

Ele pensa por um momento, essa questão parece nunca tê-lo ocorrido antes, e então diz: “De tempos em tempos, os espíritos do céu guerreiam e, quando o fazem, seu sangue pinga do céu. ”

“De onde vêm os espíritos? ” Pergunto.

Sua voz abaixa para um sussurro. “Do tempo de antes. De muito muito tempo atrás. ”

Quando chove e você não sabe o porquê, tem várias opções. Primeiro, poderia simplesmente não perguntar por que – não perseguir a questão, ou nunca pensar na questão de partida. Esse é o comando Ignorar que os sábios barbudos escolheram primeiro. Em segundo lugar, pode tentar elaborar algum tipo de explicação, o botão Explicar, como o sábio barbudo fez em resposta a sua questão. Terceiro, pode apreciar a sensação de mistério – o botão Adorar.

Agora, como você é obrigado a perceber pela história: cada vez que selecionar Explicar, no melhor cenário você consegue uma explicação, como “espíritos do céu”. Mas logo essa explicação em si está sujeita ao mesmo dilema – Explicar, Adorar ou Ignorar? Cada vez que escolhe Explicar, a ciência tritura por um tempo, retorna com uma explicação, e então uma outra caixa de diálogo aparece. Como bons racionalistas, nós nos sentimos por dever inclinados a continuar batendo o botão Explicar, mas isso parece uma estrada que não tem fim.

Você bate Explicar para a vida, e obtém química; bate Explicar para química, obtém átomos; bate Explicar para átomos, e encontra elétrons e núcleo; você bate Explicar para núcleo, e obtém cromodinâmica quântica e quarks; você bate Explicar para como os quarks chegaram lá e volta ao Big Bang...

Podemos bater o botão Explicar para o Big Bang, e esperar enquanto a ciência o tritura pelo seu processo, e talvez algum dia retornará uma boa explicação. Mas até lá, apenas outra caixa de diálogo será aberta. Se continuarmos tempo suficiente, devemos chegar a uma caixa de diálogo especial, uma nova opção, uma Explicação que não precisa de Explicação, um lugar onde a cadeia se encerra – esta é, talvez, a única explicação que vale a pena conhecer.

Aqui está – É só apertar Adorar.

Nunca se esqueça de que há muitas outras maneiras de adorar além acender velas sobre um altar.

Se tivesse dito: “Hum, isso parece paradoxal. Pergunto-me como o aparente paradoxo é resolvido." Se fosse o caso, eu teria batido Explicar, o que às vezes demora um pouco para produzir uma resposta.

E se toda a questão lhe parece sem importância, ou irrelevante, se você prefere adiar pensar sobre isso até amanhã, então tem de bater Ignorar.

Selecione a sua opção com sabedoria.

http://lesswrong.com/lw/j2/explainworshipignore/